Procurar      
Inglês       Espanhol       Francês
Erasmo Angelo - Toque de Primeira
 
29/01/2016 - Festival de peladas
 

Enquanto não tem início o período do futebol de verdade, futebol valendo três pontos mesmo, o que só será possível com o breve chegada da Libertadores, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, é reservado ao torcedor o festival de peladas, que acontece en todo começo de ano.

E dá de tudo neste festival, no qual os times vão se ajeitando à espera da chegada das competições que valem tudo.

Neste ano a coisa começou diferente. Por um punhado de dólares, vários dos nossos grandes foram para os Estados Unidos treinar nos amistosos de uma tal Copa da Flórida.

E lá estava também o Atlético, faturando sua grana. Fez dois amistosos e, por ter vencido os dois, arrumaram uma taça e o proclamaram campeão, o que fez nossa mídia chegar ao cúmulo de afirmar que o Atlético estava se sagrando “campeão da Flórida”.  É a volta triunfante do besteirol futebolístico.

O irônico nessa coisa é que o Atlético, depois dos dois amistosos, botou seu caneco (e os dólares, claro) na bagagem e veio embora enquanto os demais times que estavam por lá continuaram disputando a tal  “Florida Cup”.

Teve atleticano que ficou bravo com parte da mídia, que não vende ilusões, por esta ter criticado a empolgação da torcida com aquela bobagem festiva ocorrida na Flórida e que mereceu até foguetes aqui em BH e gente indo ao aeroporto receber os heróis da Flórica.

Na verdade, o torcedor atleticano deveria simplesmente entender que aquilo tudo que se aconteceu na Flórida não passou de uma fase de treinos da equipe para o começo da temporada. Relevante para se armar o time e, claro, para se ganhar um punhado de dólares.

Mas é um começo que já indica dificuldades, como assim mostrou o time na derrota diante do Flamengo, no meio da semana, no Mineirão. Adversário, por sinal, bem mais arrumado do que os enfrentados no passeio aos Estados Unidos.

Aliás, com times basicamente os mesmos do ano passado, quando não ganharam nada, Atlético e Cruzeiro vão precisar redobrar  o nível de suas condições técnicas pois a qualidade de suas equipes ainda deixa muito a desejar.

Desta forma, como o festival de peladas terá agora seu curso com o inútil Campeonato Mineiro e o torneio amistoso Sul-Minas-Rio, nossos dois grandes precisam aproveitar seus jogos para neles treinarem e armarem suas equipes visando o que realmente estará valendo muito em breve: Copa Libertadores (Atlético), Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.

GASTANÇA OLÍMPICA – A Autoridade Pública Olímpica (APO), nome pomposo criado para sacramentar a gastança desenfreada para a Olimpíada Rio-2016, fez nova revisão dos custos da organização da Olimpíada, que começa em agosto.

E aponta mais um inchaço financeiro, agora da ordem de R$ 400 milhões. O custo da loucura olímpica que Lula arrumou para ajudar a afundar a economia brasileira e que a incompetente Dilma sacramentou, já chega a R$ 40 bilhões.

Some-se isso a outra irresponsabilidade do lulopetismo: a monumental gastança com a promoção da Copa do Mundo de 2014, a hoje denominada “Copa da Corrupção”.

E Lula anda por aí, desfilando suas bravatas. Mesmo alvo de tremendas suspeitas, o cara tem a coragem de dizer que não existe neste Planeta ninguém mais honesto que ele.

PIMENTEL E O AMÉRICA – Causou espanto geral matéria publicada nos jornais, no meio da semana, dando conta de entendimentos da direção do América, através do deputado Alencar da Silveira, com o governador petista Pimentel visando se arrumar um patrocínio para o clube com alguma grana do Estado.

Uma barbaridade.

 Com o Brasil de Dilma no buraco e Minas do Pimentel na pindaíba, é uma insanidade admitir que dinheiro público vá ajudar a sustentar um clube de futebol profissional que, como seria correto, deveria buscar sua sobrevivência na iniciativa privada.