Procurar      
Inglês       Espanhol       Francês
Erasmo Angelo - Toque de Primeira
 
16/02/2016 - Vale a pena ter Robinho?
 

A torcida atleticana, sempre explosiva na veneração aos craques do time, não deve esperar que Robinho mostre em campo aquele futebol refinado que fez dele um dos destacados talentos revelados pelo futebol brasileiro na primeira década deste século.

O atacante, hoje com 32 anos, sufocava defesas rivais com seu estilo ágil, desconcertante e objetivo, marcas que fizeram dele um dos grandes craques do futebol internacional dos anos 2002 a 2010.

Já a partir de meados de 2010 a estrela de Robinho começou a oscilar na esteira do seu inconformismo com a condição de reserva no inglês Manchester City, o que lhe valeu o primeiro empréstimo ao Santos, em 2010 até retornar ao futebol europeu, negociado pelo clube inglês ao italiano Milan.

Entre altos e baixos na nova fase européia, a solução de Robinho para tentar alavancar novamente a carreira foi um outro retorno à sua casa, ao Santos, em 2014. Mas, mesmo no seu aconchegante terreiro na Vila,  fez fraca campanha.

No ano passado, 2015, um montão de dólares o levou ao futebol da China, onde os clubes gastam fortunas incalculáveis com a contratação de jogadores, nunca estranha combinação de fartura de grana com futebol ruim.

Robinho foi levado ao chinês Guangzhou pelo treinador Felipão e apesar da aposta do treinador em ter o jogador como a estrela da equipe, Robinho decepcionou.

O jogador anotou só três gols e deu uma assistência na Superliga chinesa. Entrou como titular da equipe oito vezes, mas foi substituído em cinco deles. No total, jogou apenas 543 minutos na temporada.

Ao ganhar do Santos a disputa para ter Robinho, fazendo assim um tremendo esforço financeiro, o Atlético decidiu apostar na experiência do atacante para tê-lo como peça fundamental da equipe na Copa Libertadores, que começa para o time atleticano neste meio de semana, no Peru, contra o Melgar.

Se valeu a pena o tremendo esforço da diretoria atleticana para trazer o jogador, só Robinho poderá dar a resposta dentro de campo.

E que o atleticano, repito, não pense que verá em campo aquele Robinho sufocante do período 2002 a 2010.

Mas, se ele conseguir jogar pelo menos 50% da arte futebolística que mostrou naquela primeira década do século, já terá valido a pena.

O que não pode acontecer é ver no Atlético o Robinho de sua passagem pelo Santos em 2014 e, pior ainda,  o Robinho de sua fraquíssima jornada na China em 2015.

SHOW DE BOLA – No último domingo, uma simples troca de canal permitiu a quem assistia à tremenda pelada entre Cruzeiro e Tupi, pela Globo, a se deliciar com mais uma exuberante exibição de futebol proporcionada pelo Barcelona  no seu jogo contra o Celta mostrado pelo canal Fox.

Um espetáculo. Teve de tudo para quem vê futebol como um show, proporcionado por astros que sabem todos os segredos da arte de jogar bola.

Teve Neymar fazendo duas jogadas individuais de rara beleza em dois “chapéus” sobre zagueiros adversários, sendo um deles de exuberante malabarismo.

Para completar o show, teve ainda o incrível e inusitado lance da cobrança de pênalti pelo astro Messi, que tocou de leve na bola para então o artilheiro Luís Suárez aparecer fulminante e tocar para as redes.

Tenho sempre dito aos amantes do bom futebol: aproveitem enquanto ainda temos a chance de ver um time jogar com tamanha beleza como o faz o Barcelona. É imperdível. E nesta quarta-feira, as 3 e meia da tarde tem mais Messi, Neymar, Luís Suárez e companhia, ao vivo, pelo canal Fox.

SHOW DE PELADAS – Em oposição a tudo de bom que se pode ver no futebol europeu e que os canais Fox e ESPN andam mostrando, os canais SporTv e a Globo dão de “presente” aos torcedores o maior festival de peladas e de pernas de pau da história do esporte brasileiro.

É de arrepiar a inutilidade futebolística que aqueles canais levam os lares dos torcedores brasileiros com a transmissão de jogos dos superados campeonatos paulista, mineiro e carioca.

E tomem na telinha colorida coisas como Linense, Oeste, São Bento, São Bernardo, Ituano, Novorizontino, Audax, Ferroviária, Capivariano, Red Bul Brasil, Água Santa, Rio Claro, Mogi Mirim.

E tem mais. Tem Boavista, Bangu, Cabrofriense, Resende, Portuguesa-RJ, Macaé, Volta Redonda, Madureira, América-RJ, Friburguense, Bonsucesso, Tigres, Tupi, Guarani Divinópolis, Tricordiano, Boa, URT...e vai por ai.

Por mais absurdo que possa parecer e certamente não satisfeitos com a porcariada que vem sendo transmitida, os canais SPORTV castigam mais ainda os espectadores apresentando uma incrível repetição em VTs, nos mais variados horários, das modorrentas peladas dos timecos citados acima.

É castigo mesmo. Absoluta falta de respeito para com os espectadores e incompetência na elaboração de uma programação esportiva para TV.

Ainda bem que a Copa Libertadores chegou para devolver emoção aos nossos torcedores.